Header Ads

Granada e Sierra Nevada lugares encantadores

Como contamos nos outros posts, fizemos no final do ano passado uma viagem pela Andaluzia desde Barcelona, passamos por Córdoba, Sevilha, Sierra Nevada (estação de esqui) e Granada sendo nossa última parada antes de voltar para a nossa casa em Barcelona.


Deixamos para Granada 3 dias, ficamos 2 dias em Córdoba e 2 dias em Sevilha.
Chegamos em Granada no começo da tarde, tínhamos saído de Sevilha ás 11hs da manhã, de Sevilha até Granada são uns 215Km, umas 2 horas e pouco de estrada sem pedágios.

Logo que estávamos chegando em Granada, ainda na estrada ficamos admirando a Sierra Nevada ao longe cheia de neve, deixando a vista linda, adoramos passear e ver neve, e um dos dias de Granada aproveitamos e fomos a Sierra Nevada para esquiar, mais abaixo contamos como foi.

Nossa primeira parada foi deixar as coisas no hotel e deixar o carro lá também, pois gostamos de conhecer as cidades a pé, ficamos no Hotel Saylu um bom hotel com ótimo preço,  bem perto da saída da cidade em direção a Sierra Nevada, geralmente ficamos no centro da cidade mas como estávamos de carro, buscamos um hotel que tivesse estacionamento e esse tem, mas um detalhe importante, o hotel tem vagas cobertas e não cobertas que são gratuitas, nós reservamos a coberta para garantir e pensamos, se tiver espaço nas vagas gratuitas, falamos que queremos parar o carro nas gratuitas e pronto, mas quando falamos com o recepcionista que iriamos deixar o carro nas gratuitas, ele falou que a nossa vaga coberta já estava registrada e não teria como cancelar, pois tinha sido feita pelo booking, com isso perdemos 30 euros, então fica a dica, não reserve a vaga nesse hotel, mas mesmo com esse probleminha recomendamos o hotel e o booking, era o melhor preço, tinha uma vista linda do quarto para a Sierra Nevada e muito bem localizado.

O que fazer em Granada e quais são suas principais atrações de Granada?

Na tarde do primeiro dia pegamos um ônibus perto do hotel para ir ao centro de Granada, nesse primeiro dia reservamos para ver a parte direita da cidade, onde fica o bairro Albaicín.

Começamos pelos Jardins do Triunfo, e pelo antigo prédio do Hospital Real que hoje em dia é um prédio da Universidade de Granada.



Depois de lá fomos para a Porta de Elvira ou Arco de Elvira, a porta na época muçulmana foi a principal porta de entrada para a cidade, construída no século XI, também foi utilizada como fortaleza e tinhas 3 torres, hoje em dia só restou a fachada exterior da porta.

No bairro de Albaicín por ser um bairro alto, existem vários mirantes da cidade, nessa nossa caminhada paramos primeiro no Mirador de La Lona, que tem uma vista da cidade de Granada e da Catedral.

De lá fomos ao Palácio de Dar Al-Horra, que estava fechando então não deu para conhecer por dentro, quem compra a entrada para o Palácio, tem acesso também ao El Bañuelo (lugar onde os muçulmanos na época do domínio, tomavam banho) que também não deu para conhecer nessa viagem.

Placeta Cristo Azucenas é uma praça no alto do bairro, também é possível ver a cidade de vários ângulos e já dá pra ter uma ideia da vista que logo iríamos encontrar, que é a vista do mirador de San Nicoles que fica de frente para a Alhambra, nessa praça tem muitos artistas de ruas treinando.
Uma coisa que vimos muito em Granada, foram pessoas com seus violões tocando músicas Flamenca.

Ao lado da praça está a igreja Santa Isabel La Real, que fica bem escondidinha, é bonita mas só para passar, nessas ruas do bairro quase não passa carro direito e é tudo ingrime, e mesmo assim tem uns pequenos caminhões e ônibus corajosos que passam lá, precisam até fechar o retrovisor para poder passar na rua.

Continuando o passeio chegamos ao Arco de las Pesas, uma outra antiga porta da antiga cidade de Granada, ao lado dela tem vários barzinhos e restaurantes legais, mas queríamos ver outras coisas e deixamos para parar em um outro restaurante que logo vamos falar sobre ele.

No Mirante de San Cristobal o segundo mais bonito de Granada, que fica ao lado da igreja de San Cristobal você tem um vista de 360 graus da cidade de Granada e da vista para Alhambra.
Uma pena que a Igreja de San Cristobal estava fechada, acho que era por causa do final do ano.



A próxima parada foi a Mesquita Maior de Granada, um lugar muito bonito, com um jardim lindo que tem vista para Alhambra.
A Igreja de San Nicolas, está em reforma, mas pode visitar a torre da igreja, tem que pagar mas é bem baratinho, uns 2 euros, na visita eles contam um pouco da história da igreja que, já pegou fogo, tacaram fogo na época de uma perseguição católica, depois disso foi usada como fortaleza militar, uma história bem interessante, que me fez pensar nos meus ancestrais que moravam em Granada até 1921, que tipo de história eles participaram?


Chegamos enfim no lugar que mais queríamos ver nesse dia, o Mirante de San Nicolas (Mirador de San Nicolas), esse é o lugar que tem a vista mais bonita da cidade e de Alhambra a maioria dos postais de Granada e Alhambra são tirados desse local.



Aproveitamos que era final de tarde e conseguimos um lugar com essa linda vista no restaurante El Huerto de Juan Ranas, um excelente lugar para ver o final de tarde e as luzes se acendendo em Alhambra, a bebida no restaurante tem um preço bom, ficamos ali bebendo uma cava, a comida já não tinha o preço muito atrativo, ali há outras opções, mas como tínhamos um lugar muito bom e não queríamos comer, ficamos ali e foi muito bonito ver a paisagem do local, com Alhambra e a Sierra Nevada coberta de neve ao fundo.




E assim se foi o primeiro dia.

Nós tínhamos algumas coisas em mente para fazer, que são os pontos mais importantes de Granada, que era visitar Alhambra, esquiar na Sierra Nevada e ir ao bairro de Albaicín nos mirantes, com isso programamos para ir a Alhambra no segundo dia, porém sabíamos que era difícil conseguir ir em Alhambra, muita gente nos avisou que pegaríamos uma fila grande, pois não tínhamos conseguido comprar ingressos pela internet, tentamos comprar com uns 15 dias de antecedência da viagem e já estava tudo esgotado, porém eles também vendem uma quantidade limitada para o dia, e como tínhamos mais 2 dias então podíamos tentar, mas se você se programar antes, é melhor comprar on-line, clique aqui para comprar os ingressos on-line para Alhambra. O pessoal do hotel também avisou para chegar bem cedo umas 7hs .
Então no segundo dia logo de manhãzinha fomos para Alhambra, como tínhamos a opção de ir no outro dia não fomos tão cedo quanto o pessoal do hotel falou, chegamos lá ás 8hs da manhã que pra quem esta passeando é um horário bem cedo, fomos com o carro para se não tivesse mais ingressos trocaríamos o roteiro desse dia e iríamos para Sierra Nevada, e foi o que aconteceu. quando chegamos para comprar os ingressos em Alhambra tinha umas filas gigantes para comprar com cartão ou com dinheiro (são separadas, fique atento caso não compre online), passou 30 minutos e vimos que os ingressos para visitas durante o dia estavam esgotados e tinha ainda para a visita noturna, que logo também acabou muito antes de chegarmos perto do caixa para comprar, então com isso perguntamos que horas que tinha que chegar para poder comprar o ingresso e se no dia seguinte que seria 31/12 iria abrir, por sorte eles abririam, mas os dias 1 e 2 de janeiro eles fecham, e falaram que tinha gente que chegava ás 5h da manhã, isso mesmo ás 5 horas da manhã para conseguir comprar o ingresso, quase morremos quando soubemos, e com isso já que não tínhamos opção, pegamos o carro e fomos para a Sierra Nevada.

Fomos Esquiar na Sierra Nevada, que está perto de Granada uns 45 minutos de carro, antes de ir para lá a Pri estava com medo de ir de carro por causa das curvas e da neve que poderia ter na estrada e nunca tínhamos dirigido na neve, mas o recepcionista do hotel falou que era muito fácil ir de carro e que a estrada era muito segura e não teríamos problemas, pois o tempo estava ótimo super ensolarado e realmente é um estrada segura, só o Waze(GPS) que nos enviou  para um lugar errado e perdemos 1 hora nesse erro do GPS, fiquei meio bravo pois estávamos perdendo tempo de esquiar.
Enfim chegamos na Sierra Nevada, e tínhamos pesquisado quanto era o estacionamento pois na Europa parar o carro nas cidades é bem caro, mas vimos que tinha um estacionamento de 5 euros o dia, um preço super baixo, fomos com o GPS nesse estacionamento que passava pela cidade e já ficava quase dentro da pista, que achamos ótimo, doce ilusão, pois esse estacionamento é pro pessoal que nasceu com o esqui no pé e tem todos os equipamentos do planeta para neve, e já desce direto para as pistas.

Quando chegamos ao caixa vimos que não tinha onde alugar os equipamentos de esqui, que tinha que descer até a cidade, um moça falou para comprarmos os tickets da pista lá e descer para alugar os equipamentos, só que a descida era imensa e ainda tinha que andar pelo gelo escorregadio e a moça ainda fez eu comprar o ticket para o dia todo, sendo que já era umas 11:30hs, perdemos dinheiro nisso, depois de tentar chegar no centro da cidade a pé vimos que era melhor voltar pegar o carro, perder o dinheiro do estacionamento e descer de carro. Então fizemos isso pensando que poderia não ter estacionamento no centro e que seria caro, por sorte tinha estacionamento no centro e era o mesmo preço 5 euros, mas pegamos a última vaga, então cheguem cedo.
Depois de todo esses imprevistos estávamos no centro da estação de esqui, onde fica as lojas para alugar os equipamentos, lá também tem os bares e restaurantes, então se você for para lá vá bem em direção ao centro da estação de esqui e veja antes qual tipo de ingresso comprar para não ter o mesmo problema que tivemos, de comprar por 45 euros mais o menos o ingresso do dia todo e só usar para esquiar a tarde, que poderíamos ter pago uns 32 euros, pois 4 horas fazendo esqui é bastante coisa para quem não está acostumado.

No centro os equipamentos eram bem baratos, achamos por 9,90 euros para alugar a prancha de snowboard completa com a prancha e a bota, e mais 5 euros pelo capacete, mas pesquise, pois tinha até por 25 euros o mesmo equipamento.


Enfim depois de todo esse perrengue fui esquiar e a Pri que não gosta de esquiar ficou nos bares da cidade tomando uma cerveja e almoçando enquanto eu estava esquiando.

A Estação de Esqui de Sierra Nevada, é muito boa com várias pistas de todos os tipos com instrutores e tudo, muito melhor das outras duas que tínhamos ido La Molina (Espanha) e do  Vale Nevado (Chile). A montanha de Sierra Nevada é a 2ª maior da Espanha.


Fiquei esquiando por 4 horas um tempo excelente, foi muito bom esquiar de novo, e logo iremos para outra Estação de Esqui a Formigal-Panticosa (Espanha).


Para entrar no site da Estação de Esqui de Sierra Nevada, clique aqui

E voltei para o centro da estação de esqui para encontrar a Pri , almoçar e tomar uma água e cerveja que eu estava com muita sede.

Depois de almoçar fomos numa parte da estação para brincar na neve, fazer o anjinho na neve e tudo mais, e a Pri ficou com vontade de fazer esquibunda e nessa parte tinha um lugar para fazer e tinha um monte de gente fazendo desde crianças pequenas até adultos. Compramos um esquibunda na frente da pista por 4 euros.

A Pri adorou fazer esquibunda e se divertiu muito, não queria parar de descer nunca mais.

Depois de nós 2 nos divertimos muito em Sierra Nevada e vendo o pôr do sol lá do alto, era hora de ir embora e voltar para o hotel para descansar.



No terceiro dia como falamos tínhamos que acordar muuuito cedo ás 4:30h da manhã para chegar as 5hs na fila de Alhambra, foi difícil acordarmos, mas conseguimos uhuu.

Chegamos lá e já tinha umas 10 pessoas ou mais na fila, nossa como foi difícil esperar do lado de fora até ás 8hs da manhã, que é o horário da abertura das bilheterias, aguentando um frio de -3 graus, amanheceu somente ás 8h também, nossos pés quase congelaram, depois de comprarmos os tickets tivemos que voltar para o carro para ligar o ar quente para melhorar o frio e descansar um pouco para a entrada que era para ás 9hs, por isso repito, compre os ingressos on-line para  Alhambra.

Falando um pouco sobre Alhambra, é uma cidade palatina, constituída por palácios, jardins, torres, fortalezas (Alcázar) que abrigava uma verdadeira cidade dentro da própria cidade de Granada, é um lugar muito, mas muito lindo com uma mistura de culturas e arquiteturas muçulmanas, góticas e medievais, as obras que mais destacam são as muçulmanas.


Sua construção começou nos tempos romanos no século IX, no século XII passou a ser residência do monarca Muhammad ibn Nasr, primeiro monarca do Reino Nazarí, os palácios de Comares e dos Leões são umas das principais atrações do complexo, são do século XIV.




É um passeio deslumbrante que fizemos em umas 5 horas, o máximo você pode ficar lá são cinco horas, se quiser conhecer bem detalhadamente talvez tenha que ir dois dias, pois tem muitos lugares bonitos e se pegar o AudioGuide aí o tempo ficará bem curto.



Foi um dos locais mais bonitos e preservados que já visitamos valeu muito a pena ter que passar tantas horas na fila, pois é maravilhoso, amamos.


Lá também tem palácios mais novos depois da retomada dos Reis Católicos expulsando os muçulmanos da Espanha, como o palácio de Carlos V.



Há também banhos árabes.

E também uma igreja.


Os jardins são muito lindos também, muito bem cuidado, com diversas fontes e flores, mesmo no inverno há flores.






Esse lugar é difícil de descrever tem que ir conhecer para saber como é lindo.





Depois desse banho de cultura e de quase 5 horas, fomos ver uma cidadezinha perto de Granada a 4Kms do centro, chamada Pulianas e Pulianillas, fomos lá para ver o lugar onde meu avô Antonio Gutierrez Lopez e meus Bisavôs Gumercindo Emílio Gutierrez Rodriguez e Antônia Lopez Alarcon nasceram e viveram por um bom tempo.

Passamos na Paróquia San Juan, onde eles foram batizados e onde eram registrados os nascimentos, pena que a igreja estava fechada.

Fomos até a rua Del Agua onde ficava a residência deles e faziam a produção de açúcar através da beterraba, essa rua fica na ex-cidade de Pulianillas onde na época meu bisavô era o prefeito da cidade, e por isso que eles tiveram que ir para o Brasil, pois o meu Bisavô pelo que pesquisei brigou com o rei e teve que ir embora da Espanha.


Como falei meus antepassados viveram ali desde antes 1500 até 1921.
Depois desse encontro com o passado, voltamos para Granada no meio da tarde para ver algumas coisas que faltavam ver.

Fomos ao Monastério de San Jeronimo.

Depois na Parroquia de Santos Justos e Pastor.


E terminamos na Catedral de Granada que é formado por várias igrejas juntas, pena que tudo estava fechado por ser o último dia do ano.


Voltamos para casa e descansar para a noite de ano novo em Granada, passamos na praça del Carmen, para nós que não tínhamos pensando em fazer nada, foi bem legal, com música ao vivo, uma queima de fogos com impressionante 1 minuto de duração e olhe lá rsrsrs, quando fazíamos queima de fogos na chácara tinha mais fogos que lá, mas foi bem legal.Na tradição Espanhola tem que comer 12 uvas nos últimos 12 segundos antes da virada do ano novo.

Pena que acabou a viagem, e no dia seguinte tínhamos 8 horas de estrada para voltar a Barcelona.

Algumas coisas em Granada acabou não dando tempo de conhecer, então sugerimos ficar uns 4 dias.

Booking.com

2012 - 2016. Christian Gutierrez e Priscila Gutierrez. Todos os direitos reservados.. Tecnologia do Blogger.