Header Ads

Pompéia, a cidade devastada pelo vulcão, a qual hoje em dia é uma atração

Nós do TurMundial ainda não fomos para Pompéia, mas temos muita vontade de conhecer essa cidade devastada pelo vulcão, onde hoje em dia é uma atração para os turistas do mundo todo. Então trouxemos para vocês, um texto da nossa amiga Blogueira, do blog Itinerário de Viagem, a Estela, vejam que relato incrível e detalhado ela enviou para nós:

A cidade de Pompéia (ou Pompeii) fica a 22km de Nápoles, Itália, e sempre habitou o meu subconsciente desde a infância. Adorava assistir a documentários a respeito, adorava a música que falava sobre Pompéia da banda Virgin Steele e adorava as revistas sobre arqueologia que colocavam esta cidade como foco.

A cidade que é hoje um sítio arqueológico, foi uma cidade Romana e o fato de ter sido soterrada pelas cinzas de uma grande erupção do vulcão Vesúvio em 79d.c. é o que a torna um dos sítios arqueológicos mais fascinantes do mundo, já que todo o material de lama e cinzas conservaram e muito a cidade! Pelo o que me informei, a cidade ficava a beira mar, mas com a erupção do vulcão o mar foi afastado pelas cinzas. Estando lá dá pra imaginar quão forte foi esta erupção porque o mar está a aproximadamente 2km de distância!


Naquela época, os habitantes nunca tinham visto uma erupção vulcânica e por conta disso, acharam a erupção algo estranho, porém muitos não se alarmaram. A consequência disso levou a muitas mortes na cidade (e em outras cidades próximas também). A grande maioria acabou ficando na cidade que era murada e quando decidiram deixar a cidade, não conseguiam mais abrir os portões, porque o Vesúvio jogou muita pedra-pomes (uma espécie de pedra porosa), obstruindo portas e portões, além de destruir telhados com o peso acumulado de pedras. Além disso, a pedra-pomes absorveu a umidade do ar, fazendo com que o ambiente ficasse completamente seco e quente, levando a óbito todos que ficaram na cidade.

A cidade foi reencontrada apenas no ano de 1749 e toda aquela cinza e lama acabou protegendo as construções e objetos da cidade, moldando inclusive o corpo das vítimas. Estando lá você realmente percebe que a cidade está bem preservada e é possível conseguir visualizar a estrutura completa de uma cidade romana, com casas, templos e fóruns. Há inclusive algumas pinturas ainda nas paredes. É considerada patrimônio histórico da humanidade pela UNESCO e recebe cerca de 2,5 milhões de turistas por ano.

Antes mesmo de falar sobre o sítio arqueológico é melhor eu explicar como faz para chegar lá: provavelmente você estará Nápoles, então, vá até a "Stazione di Napoli Centrale" e procure a plataforma dos trens da companhia "Circumvesuviana" (que são diferentes da "Trenitalia" porque os trens desta companhia te deixam em uma estação bem longe da entrada do sitio arqueológico). Mas a dica valiosa é tentar se achar lá dentro da "Stazione di Napoli Centrale" sem pedir informação para ninguém, porque se você pedir informação, a pessoa possivelmente irá te ajudar mas cobrará uma grana pela informação (até mesmo funcionários uniformizados).

Quando você encontrar a plataforma da Circumvesuviana, se atente ao letreiro do trem que deve apontar a cidade de Sorrento como o "ponto final". Se for este o letreiro, pronto... você está no caminho certo! O trem é simples e a viagem dura cerca de 40 minutos. Fique com o seu voucher ou ticket em mãos para ser validado pelo funcionário do trem.

Chegando lá, a entrada do sítio arqueológico fica a poucos passos da saída da estação de trem e lá dentro de Pompeia você pode levar de 4 a 6 horas (depende do ritmo e interesse de cada um).

Vale a pena levar um lanche e água na sua mochila ou comprar algo antes de entrar em Pompeia ou depender da única lanchonete lá dentro. Mas se você for em alta temporada (que é o verão), se prepare com as filas gigantescas e muito sol na cabeça.

O Itinerário de Viagem é feito pela Gisela e eu, Estela. A Gisela foi no verão e passou muito calor, chegando a 40ºC. Eu fui no inverno junto com meu namorado e chegando lá, notei que a cidade não possui muitas árvores para fazer sombra... então eu entendo quando a Gisela reclamou do calor de lá.... até porque, mesmo no inverno, eu fiquei com um pouco de calor.

Como o sítio arqueológico é uma cidade inteira, obviamente o local é enorme. Infelizmente não há um mapa de localização a venda na bilheteria do local, então meio que andamos pelo "feeling", o que eu achei muito ruim. Sugiro que você pesquise um mapa no Google, imprima e leve consigo. Desta forma, irá otimizar o seu tempo e focar nos principais pontos de visitação. Mas se estiver a "deus dará" como nós, não será algo tão aleatório, aliás, acho que até passamos por locais que quase ninguém vai...

Considero Pompéia como o exemplo de cidade romana mais completa porque tudo está realmente muito bem conservado e como é muito grande, há diversos exemplos de construções. Lá você consegue visualizar a estrutura completa de uma cidade romana, as estruturas das casas, templos, fóruns... nossa... eu amei muito! Estava além das minhas expectativas!

Um dos pontos mais importantes deste passeio é passar pelo Fórum que é um local magnífico! Ainda hoje é possível imaginar como ele deveria ser, todo imponente e para complementar a beleza do lugar, o Vesúvio fica bem ao fundo no horizonte. Há um galpão com alguns corpos moldados pelas cinzas e a imagem é bem chocante!

À esquerda do Fórum, há conjuntos de casas muito interessantes, com fachadas pintadas e uma parte onde os arqueólogos trabalham para desvendar a cidade, porque ela não está 100% descoberta de cinzas, ou seja, ainda tem muita coisa para conhecer.

Outro ponto que todo mundo quer entrar é a casa onde funcionava um prostíbulo. É possível ver nas paredes a decoração que indica que lá de fato era um prostíbulo. O local é bem pequeno e fica difícil conhecê-la, porque muitas pessoas entram lá ao mesmo tempo. Dá até pra ver as pequenas camas de pedra dos pequenos quartos e fiquei imaginando que o pessoal de Pompeia devia ter uma estatura muito baixa, era tudo muito pequeno até pra mim, que tem 1,56m rsrsrs.

Infelizmente você não pode entrar em todos os prédios sempre que quiser. Alguns possuem restrição de circulação de pessoas. Há inclusive um galpão onde é possível ver os arqueólogos "desenterrando" outra parte da cidade. No dia que fomos não havia expediente, mas é uma boa dica para você programar para visitar.

Passar o dia praticamente inteiro em Pompéia foi um dos passeios mais legais que fiz na vida. Pode parecer trivial, mas eu me senti realmente em uma cidade romana e era como visitar uma parte da história que sempre me fascinou muito!

Um outro sítio arqueológico muito visitado é Erculano e nós também o visitamos, em um outro dia. Adoramos ambas as experiências e com certeza voltaria fácil, fácil!

Sobre a Estela:
Ela é sócia fundadora do blog Itinerário de Viagem que existe desde 2012, mas ele só virou um ".com" em Abril de 2014. Quando ela escolheu um destino de viagem, geralmente ela é atraída por aqueles que incluem muita história, arte e arquitetura. Sempre que ela pode, tenta adicionar locais que que fogem do turismo comum e, para isso, conversa com os habitantes dos destinos que visitou em busca de experiências inusitadas! Ela gosta de tentar viver suas viagens do ponto de vista do habitante local, então sempre procura ir a mercados, restaurantes locais e, enfim... ela vai se enfiando em qualquer lugar!

Ela está em várias redes sociais, mas se destacam estas:
Blog: www.itinerariodeviagem.com
FB: https://www.facebook.com/itinerariodeviagem/
Instagram: @itinerariodeviagem

Booking.com
2012 - 2016. Christian Gutierrez e Priscila Gutierrez. Todos os direitos reservados.. Tecnologia do Blogger.