O que fazer em Sant Feliu de Guixols na Costa Brava

O que fazer em Sant Feliu de Guixols na Costa Brava

Novembro 1, 2021 0 Por Christian Gutierrez e Priscila Gutierrez

Nesse post contaremos o que fazer em Sant Feliu de Guixols, uma cidade da Costa Brava no litoral norte da Catalunha na Espanha.

Costa Brava para quem não conhece é a parte da costa norte da Catalunha que vai da cidade de Blanes até a cidade de Cadaques já na fronteira da Espanha com a França, é a parte que tem as praias mais bonitas da Catalunha.

A cidade de Sant Feliu de Guixols e seus arredores imediatos constituem um recanto da região com personalidade própria. Sant Feliu de Guixols é a capital natural deste pequeno território, também formado pelos municípios vizinhos de Santa Cristina e Castell-Platja d´Aro, que com suas paisagens e história agregam mais elementos de diversidade à região de Baix Empordà, e acentuam seu plural e aspecto aberto.

Situada no vértice meridional da região, numa pequena baía fechada por duas pontas rochosas que formam um porto natural, Sant Feliu de Guixols parece contemplar de longe o mais espetacular desenvolvimento turístico e urbano de outras localidades do litoral. Em contraste com a explosão urbana e com um certo improviso no nascimento e crescimento de outros núcleos, Sant Feliu de Guixols apresenta uma imagem mais equilibrada e ordenada, típica de uma cidade que já teve um crescimento significativo, e bastante harmonioso, muitos anos antes do grande desenvolvimento econômico começou na década de setenta.

Sant Feliu de Guixols na Costa Brava

Os visitantes desta cidade são atraídos, em primeiro lugar, pelo seu magnífico Passeio beira Mar, um espaço urbano que ilustra esse jeito “diferente” de ser que Sant Feliu traz para a região. Ao contrário dos passeios bem mais recentes da grande maioria dos povoados do litoral, este é um passeio que começou a ser ordenado em 1834, com o plantio das duas primeiras filas de árvores, e que em 1884 já tinha corrente das cinco linhas e um aspecto bastante semelhante ao que apresenta hoje. A extensão para leste deste primeiro passeio também data do século passado, conhecido como Passeig de Guíxols. Um e outro formam um conjunto de alta qualidade que tem sido o cenário por excelência para momentos de lazer e diversão por muitas gerações de Guixoles. “O que seria Sant Feliu sem seu Passeig del Mar?” O historiador Lluís Esteve escreveu certa vez, resumindo com esta frase a sua importância e, ao mesmo tempo, o orgulho justificado que desperta nas crianças desta cidade.

O que fazer em Sant Feliu de Guixols?

Fomos para lá passar um final de semana de agosto, época do verão e das férias na Espanha, como a cidade não é muito conhecida como outras próximas como, Tossa de Mar, mesmo nessa época a cidade estava tranquila, só a praia de Sant Pol que está mais lotada, de resto tudo tranquilo para ir aos restaurantes e praias.

1º Dia
Saímos de ônibus de Barcelona para Sant Feliu de Guixols, pagamos 61,00 euros ida e volta o casal, toda a Costa Brava não tem estações de trem e por isso só pode chegar de carro ou ônibus, mas quase não chegamos vivos porque o ônibus estava sem ar condicionado no começo e todos morrendo de calor rsrs, sorte que o motorista parou e reiniciou o sistema e o ar voltou a funcionar, mas a companhia de ônibus Moventis deveria informar a todos os motoristas que antes dos passageiros entrarem o ar já deveria estar ligado, mas enfim chegamos no final da tarde, o trajeto é feito em apenas 1h30.

O hotel que reservamos foi o Hostal Noray, muito bom, bem limpo, bem localizado (está perto da praia), os donos são simpáticos e deixam guardar as malas quando fizemos check-out do hotel e fomos para a praia passar o dia, pegamos no final do dia para irmos a rodoviária, que também está bem próxima. Entre a rodoviária e o hotel nem esperávamos e  do nada encontramos um Portão de um monastério do século X, super bonito.

O mosteiro beneditino de Sant Feliu de Guíxols foi fundado na primeira metade do século X e erguido sobre vestígios romanos que ainda são visíveis em alguns lugares.

mosteiro beneditino de Sant Feliu de Guíxols

No que diz respeito à igreja, houve uma primeira fortificada – com muro, torres e fosso – que foi destruída durante um ataque sarraceno em 965. O templo foi reconstruído e uma igreja de estilo românico foi construída entre duas torres pré-existentes. No entanto, um novo ataque, desta vez dos franceses em 1285, causou novamente danos extensos ao edifício, que teve de ser restaurado novamente. Já em 1317 o templo foi modificado novamente, desta vez com o objetivo de renovar e ampliar a igreja, o que lhe deu em grande parte o aspecto que podemos observar hoje.

Esta fachada é o único vestígio de um edifício pré-românico que poderia ter sido o palácio de um abade ou de um governador carolíngio. Está dividido em três níveis: uma galeria de arcos em ferradura sobre colunas, um primeiro andar com triplas aberturas também com arcos em ferradura e, por último, uma cornija de arcos cegos de estilo lombardo. Seu nome, aparentemente, não vem do formato de ferradura de seus arcos, mas de uma velha porta equipada com um espetacular ferrolho.

O Arco de Sant Benet (Portão de Sant Benet) agora preservado como porta isolada no meio de uma esplanada era então a principal porta de acesso ao mosteiro. É de estilo barroco e data do século XVIII.

Arco de Sant Benet (Portão de Sant Benet)

O portão está dividido em dois pisos. O primeiro consiste em um arco carpanel ladeado por pares de colunas capitais jônicas. Essas colunas erguem-se sobre um pedestal e sustentam um entablamento irregular que se abre no centro para enquadrar um escudo. No segundo andar, vasos flamejantes no entablamento arrematam as colunas e ladeiam um nicho central.

Como o horário de verão na Espanha o sol vai até mais de 21hs deu tempo de ir na praia do centro, apesar do tempo um pouco nublado, jantamos no restaurante La Muralla Cafeteria Granja comida de Honduras, taco e quesadillas por 25 euros mais bebidas, boa comida e preço justo.

2º Dia
Como sempre nas viagens para praia tentamos economizar comprando o almoço e as bebidas no supermercado para levar para a praia numa mochila térmica e assim passamos o dia inteiro, coisa muito normal na Europa, o europeu faz isso normalmente e adoramos.

Depois de passar no supermercado caminhamos 2 km do hotel até Sa Caleta, uma praia que está fora do centro, paramos primeiro na Sa Caleta, uma cala rochosa ao lado da Praia de Saint Pol.

Sa Caleta

A Praia de Sant Pol é linda, a mais linda da cidade e larga, tem areia de pedrinhas bem fininhas, a areia não é fina como em outras praias mas é bem bonita, passamos o dia ali.

Praia de Sant Pol

Lá tem uma casa que parece um mini palácio, construída em 1890 e que se chama casa de Les Punxes, Punxes em Catalão significa ponta e cada ponta dessa representa cada filho do construtor da casa Pere Martir Estrada, é um bem cultural de interesse local e nem sabíamos que existia, também foi uma surpresa quando chegamos lá.

Para voltarmos ao hotel fizemos uma trilha entre Sant Pol e Sant Feliu passamos por Sa Caleta, Cala Maset, Cala Peix, Cala L’Ametler e Cala Jonca todas essa calas não tem praia para tomar sol, somente consegue tomar sol nas pedras da montanha e no final da trilha chegamos no Porto de Sant Feliu, onde ficamos para ver o final da tarde.

Jantamos ao lado do hotel, no Restaurante a Gran Muralla comida chinesa muito boa e muito barata, pagamos 13,05 euros o casal, com bebidas e comemos super bem.

trilha entre Sant Pol e Sant Feliu

Depois do jantar fomos beber no quiosque da praia no La Barraca del Mar, aproveitamos a vista do mar com a lua cheia e a noite tem DJ tocando um som legal, a única coisa ruim é que nos cobraram 5 euros a mais com a desculpa que o vinho que tomamos era outro do que tínhamos pedido, uma dica confirmem o nome do vinho quando chegar a garrafa na mesa.

3º dia
Fizemos uma caminhada para chegar na Cala del Vigatà, não vale a pena, uma pirambeira super íngreme para descer a até a praia que não é tão bonita assim.

praia de Sant Feliu de Guixols

Com isso voltamos para a praia de Sant Feliu de Guixols, a praia do centro da cidade, para ficarmos perto da rodoviária que no final da tarde tínhamos nosso ônibus de volta para Barcelona, e de novo tivemos um problema no ônibus, no meio do caminho teve que trocar de motorista porque o que estava antes já tinha feito o limite de horas trabalhadas, uma má gestão da empresa Moventis, mas no geral foi tudo certo e atrasamos uns 30 minutos.

praia de Sant Feliu de Guixols

Essas são as dicas do que fazer em Sant Feliu de Guixols, esperamos que gostem.